Entenda como o investimento em aromas pode salvar o seu negócio

Atualizado: Abr 30



Todo empreendedor precisa tomar uma série de cuidados antes de abrir o seu próprio negócio: análise de mercado, escolha de sócios, plano de negócios, custos iniciais etc. Mas tão importante quanto abrir a sua empresa é mantê-la de portas abertas, principalmente quando se trata de um negócio com ponto físico, pois com a evolução do comércio eletrônico (e-commerce), o público mudou consideravelmente seus hábitos de compra. Segundo informações da NZN Intelligence, divulgadas pelo portal E-commerce Brasil, 71% dos brasileiros aumentaram a compra online após o isolamento social causado pela Pandemia da COVID-19. Por isso, é preciso esgotar toda sua criatividade para “reconquistar” esse público perdido. E é daí que vem a importância de apresentar serviços e produtos diferenciados para os seus clientes.


Mas é importante ressaltar que quando falamos de produtos e serviços diferenciados, não estamos buscando apenas as vantagens oferecidas pelo e-commerce, como entrega à domicílio, entrega gratuita, cupons de desconto etc. É preciso oferecer sensações únicas e experiências incomparáveis para cativar e fidelizar o seu público. Nessa matéria vamos te mostrar como o investimento em aromas pode contribuir para uma melhor experiência do seu consumidor na jornada de compra. Antes, porém, é preciso contextualizarmos um cenário delicado enfrentado, principalmente, pelos varejistas com lojas físicas.


Uma pesquisa realizada pela UBS Group AG, empresa global de serviços financeiros presente em mais de 50 países, revelou dados assustadores para comerciantes varejistas e fez uma projeção ainda mais alarmante. De acordo com a multinacional, cerca de 12 mil empresas fecharam as portas em 2019 (ano da última pesquisa) e, até 2026, outras 75 mil seguirão pelo mesmo caminho.


Já os números divulgados pela Boa Vista Serviços, empresa de informação de créditos que administra dados de mais de 130 milhões de empresas e consumidores no Brasil, os pedidos de falência aumentaram 12,7% em 2020, em relação ao ano anterior. As pesquisas mais recentes também mostram um cenário pessimista para o ano de 2021. Ainda de acordo com a Boa Vista Serviços, os pedidos de falência aumentaram 5,7% em janeiro, em comparação a dezembro de 2020.


É importante destacar que os dados mais recentes (2021 e 2020) têm grande interferência dos impactos econômicos causados pela pandemia da COVID-19. No entanto, o cenário de falências já estava se desenhando há quase 10 anos. Segundo pesquisa do IBGE, seis em cada 10 empresas abertas em 2012 encerraram suas atividades em apenas cinco anos.



Encontre no Marketing Olfativo o seu diferencial


Como já foi citado anteriormente, o empreendedor varejista que não quer perder o seu ponto físico precisa vender mais do que um simples produto, porque, sinceramente, é difícil oferecer condições mais atrativas e cômodas do que as apresentadas pelo e-commerce. E para alterar esse cenário é necessário “sair da caixinha” e correlacionar experiências ao produto ou serviço que será comercializado. Ao fazer isso, você conseguirá um diferencial em relação aos seus concorrentes, tanto no comércio eletrônico quanto no comércio físico.


Uma forma de proporcionar experiências ao seu consumidor é fazendo uso de Marketing Olfativo, que tem como principal objetivo transportar seus clientes para um novo universo sensorial e conceitual, gerando significados para a sua marca. Além disso, através do Marketing Olfativo é possível atingir o subconsciente dos consumidores de forma que seja possível influenciar o seu comportamento de compra. Para Paul Woolmington, CEO da Canvas Wordlwide, agência de mídia e serviços de marketing, o meio digital não atende às necessidades emocionais do consumidor, apenas as racionais. E nós, enquanto seres humanos, precisamos encontrar sentidos emocionais nas coisas, inclusive em compras de produtos e serviços.


Outro fator que justifica a “busca pelo novo” através do Marketing Olfativo é que o olfato é a forma mais eficaz, entre todos os cinco sentidos, de acessar o sistema límbico do nosso cérebro (área associada às nossas emoções e memória).


Temos um grande exemplo de uso de Marketing Olfativo através da Starbucks, empresa norte-americana detentora da maior rede de cafeteria do mundo. O cheiro do café, sentido à distância, é a forma mais irresistível de convidar o consumidor a entrar na loja e conhecer os outros produtos que são vendidos ali. Se você já visitou uma unidade sabe exatamente do que estou falando. Mas por que o cheiro do café é tão eficaz? É porque além de agradável, o aroma do café remete às lembranças de nossa infância, caracterizando o que conhecemos por memória olfativa.


Há alguns anos, segundo noticiou o site ScentAir, o ex-CEO e presidente da Starbucks, Howard Schultz, associou a queda de vendas de café ao fato deles estarem sendo vendidos lacrados e também à utilização de máquinas de expresso automatizadas. Em entrevista ao mesmo site, Schultz falou sobre o fato. “Acredito que esquecemos a causa e o efeito do bloqueio de sabor em nossas lojas. Mas a que custo? A perda do Aroma… a perda de nosso pessoal pegando café fresco e moendo-o fresco na frente do cliente, e privando a loja de nossa tradição e herança”.


Agora você já sabe como oferecer experiências e memórias através do Marketing Olfativo. Por isso, aplique essa técnica para impulsionar suas vendas e não correr o risco de entrar para estatísticas de comércios que fecharam nos últimos anos.




83 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo